Ir para o formulario de Email.

Home | Cultura | Lazer | Turismo | Informativos

     Comprando Um Carro

Comprando Um Carro Usado


Comprando Um Carro Novo

Eis aqui uma coisa que é fácil de se fazer. Na prática, para se comprar um carro novo o essencial é ter o dinheiro para pagar. Existe um provérbio usado desde de a época do Ford "T" que diz: Carro bom, é carro novo.

Mas, mesmo na compra de um carro novo, é possível alguém ser enganado.

Detalhes que devem ser observados:

1 - O carro é da marca e modelo que você está querendo ou o vendedor quer lhe vender um outro, alegando que é melhor, somente para vender e ganhar a comissão?

2 - O carro está em perfeitas condições de uso? não traz vício de fábrica? do tipo: vidro que não sobe ou desce, barulhos estranhos, problemas de freio, "pega" com facilidade? Converse com quem comprou um igual e novo, antes de fechar o negócio. É possível o carro já sair de fábrica com algum defeito.

3 - E as vantagens deste vendedor? tem seguro? IPVA pago? vem emplacado? som? tapetes? ar? Direção(hidráulica)? vidros(elétricos)? na verdade, alguns itens fazem parte do carro, mas o vendedor para dizer que é bonzinho, que está dando vantagem, ele contabiliza na sua lista de brindes... Para aumentar o desejo de compra do cliente.

4 - Alguns vendedores, analisam o comprador, para ver a possibilidade de vender um carro que está com problemas. Você tem direito de ver, analisar, dirigir, testar e conhecer bem o carro novo, antes da compra.

5 - Normalmente, quem vende carro novo, é empresa credenciada pelo fabricante. São as chamadas concessionárias, empresas sólidas, altamente responsáveis e que se empenham em conquistar bem a sua clientela, com bons produtos e serviços, é por isto que carro novo é menos problemático. Mas, chá e canja nunca fez mal a ninguém, muito menos cuidado.

Comprando Um Carro Usado

Aqui a coisa muda de figura, comprar carro usado pode ser um grande "abacaxi". O sonho poderá virar um pesadelo, se não for tomado alguns cuidados básicos e elementares. Não se apaixone pelo carro, aquela história de amor a primeira vista, deixa o comprador cego, ele fica impossibilitado de ver grande número de defeitos. Depois, é como o povo fala: virou casamento. Não consegue vender o carro...

VERIFICANDO A MECÂNICA

01 - Leve o carro para ser verificado por um mecânico experiente e da sua confiança. Mas lembre-se. O primeiro a lucrar se você comprar um carro problemático é o mecânico. É a lei natural da vida. O correto, é o próprio comprador, dominar o assunto. Quando o vendedor percebe que o comprador domina o assunto, ele confessa os defeitos do carro.

02 - Verifique se o carro não está com óleo grosso no motor. Este tipo de óleo é recomendado para motor velho e cansado, sem força - o óleo grosso disfarça os barulhos de metais, ao entrar nas fendas provocadas pelo desgastes excessivo, tais barulhos surgem em virtude do: choque entre o eixo do vira-brequim com as manivelas, choque das manivelas com o eixo dos pistões, choque dos pistões com as camisas, choque do eixo do comando de válvulas com os apoios e "tuchos" e choque das válvulas com as sedes; aumenta a compressão dos cilindros e bomba de óleo evitando acender a luz do óleo, (causando engano). Carro com óleo grosso deve ser rejeitado automaticamente, porque neste caso, a solução correta é recondicionar o motor, isto custa em média de um terço até o valor total do carro. Existem casos, em que o motor está tão desgastado que o óleo grosso já não resolve mais, o vendedor coloca grafite em pó dentro do óleo do motor para que o motor funcione normalmente. Quando o veículo estiver no elevador, se o parafuso de escape do óleo (na tampa do cárter) for retirado e recolhido um pouco do óleo, se este estiver mistura com óleo grosso ou grafite, será facilmente verificável, porque a parte grossa tende a descer para o fundo do cárter. Neste caso o que se verifica é uma borra;

03 - Verifique se não sai fumaça do escapamento (exceto diesel), se estiver saindo fumaça pelo escapamento, ou se estiver com óleo por dentro do escapamento, (passe o dedo por dentro do escapamento - cuidado para não cortar o dedo - e depois esfregue um dedo no outro), se estiver oleoso é porque existe muita folga entre o cilindro e a camisa: o carro está queimando óleo. O óleo do cárter passa pela folga dos anéis e sobe para o interior da câmera de explosão, misturando-se com o combustível, como não queima, sai cru. Em virtude disto, e dos vazamentos, constantemente é preciso completar o óleo de carro velho;

04 - Verifique o estado geral do carro, se está mal cuidado por fora, fatalmente por dentro (motor, suspensão, câmbio, rodas, estrutura) estão bem piores. Se alguém não cuida bem da aparência do carro, dificilmente irá cuidar bem do motor, suspensão e demais itens que não aparecem;

05 - Carro sujo, evidencia o descaso do proprietário ou a intenção de esconder avarias na "lata", quem compra carro muito sujo, compra problema;

06 - Nunca compre um carro sem antes levantá-lo em um elevador e verificar por baixo. Um serviço de suspensão com troca de amortecedores, custa em média um décimo do valor do carro;

07 - Veículos utilizados em aluguel, são veículos muito rodados, velocímetro não diz nada, qualquer um pode adulterá-lo para menos, inclusive, existem especialista nisto;

08 - Cuidado ao comprar veículo de "marreta" (pessoa que compra para revender, não tem endereço fixo, não tem telefone fixo, enfim, dificilmente poderá ser encontrado depois, e se encontrado, não poderá indenizar os prejuízos, não tem capital, foge...), eles apresentam o DUT em branco em nome de outra pessoa. Tais veículos sofrem aumento de preço. E os "marretas" são verdadeiros estelionatários do ramo de veículos. Quando for comprar um carro de tais pessoas, prepare-se, por mais experiente que você for poderá ser enganado;

09 - Observe o teto, as laterais, capou, porta malas, canaletas do teto do veículo na contra luz, para verificar soldas, alguns veículos, capotados, têm a sua parte superior cerrada e soldada uma outra comprada em ferro velho, que depois de pintado, "parece" novo, neste caso, geralmente é feito uma pintura geral para disfarçar melhor, em alguns casos, de longe se percebe a diferença da tinta nova para a tinta velha;

10 - Observe as laterais, encontro de latas (para lamas) para verificar se não estão desalinhadas, bata na lata e atente para o barulho fofo (massa); puxe borrachas para verificar a existência de outra tinta (original); no capou e porta malas, compare a tinta com a do exterior, principalmente no local do estepe;

10.1 - Cuidado ao comprar veículo que veio do litoral, normalmente apresentam grandes partes danificadas pela maresia (sal), tais defeitos são quase que irreparáveis, observe por baixo da borracha do porta malas e por baixo do estepe. Tais veículos começam a "pipocar" a lata uns noventa dias após o "banho" de tinta. Tem caso tão gritante, que o lanterneiro coloca um papelão por baixo, aplica a massa plástica no buraco, lixa e pinta, porque o local da maresia não suporta solda;

11 - Com o veículo no elevador, verifique as tubulações do óleo de freio, borrachas, e gire as rodas para ver se não estão amassadas, solicite ao mecânico, que verifique folgas nas buchas, pivôs e até mesmo no rolamentos das rodas;

12 - Com o carro no chão, balance-o de um lado para outro, se ele pára de balançar automaticamente, os amortecedores estão bons, se ele continua balançando, está na hora da troca;

13 - Se os pneus estão "carecas", alegue a necessidade da vistoria no DETRAN, e solicite ao vendedor que troque o jogo de pneus antes de efetuar o negócio. Há casos em que o "marreta", compra o carro com pneus e rodas em bom estado, e troca por rodas velhas e pneus velhos, comprados em borracheiros, para aumentar lucro - carro semi-novo com rodas e pneus velhos, não compre;

14 - Existe uma infinidade de lojas e pessoas de bem que vendem carros usados, evite comprar carro de "trambiqueiros", "marretas" e "gatunos".

VERIFICANDO A DOCUMENTAÇÃO

1 - Os documentos de um veículo são: DUT, IPVA e DPVA ou Seguro Obrigatório.

2 - DUT - Documento Único de Transferência (que nunca deve ser levado pelo condutor, porque não é exigido pelos órgãos fiscalizadores e só tem utilidade na hora da venda, em caso de roubo se o condutor estiver com o DUT, está entregando o veículo documentado para o ladrão);

3 - IPVA - Imposto Sobre Veículos Automotores;

4 - IPVA - pago a vista ou em parcelas, anualmente, é exigido pelas Polícias: Rodoviária Federal, Civil, Militar e Federal e Detrans. Antes da compra, ligue para o DETRAN da sua região, para verificar se há multas, pendências tais como: Ocorrência de Furto, Roubo, ou Apreensão do Veículo, esta consulta é de graça;

5 - DUT - Na hora da compra, este documento deverá ser apresentado no cartório, momento em que é preenchido e apresentado ao tabelião com identidade do comprador e vendedor que devem estar presentes obrigatoriamente para a autenticação de assinaturas, depois levado ao DETRAN local juntamente com o veículo para vistoria e transferência.

6 - DPVAT ou Seguro Obrigatório - É o seguro de vida pago pelo Estado, pago anualmente pelo proprietário;

7 - IPVA E SEGURO - Devem ser levados pelo Condutor e são exigidos pelos órgãos fiscalizadores;

8 - A obrigação de pagar a multa é do vendedor, se constar multa, o comprador poderá descontá-la do valor total do veículo, o valor das multas;

9 - Evite comprar veículo por procuração, este negócio geralmente dá dor de cabeça no final. O correto é usar o DUT e ir ao DETRAN e efetuar a transferência;

10 - Nunca venda um carro para o comprador transferir depois, vá logo ao DETRAN e faça a transferência ou solicite o cancelamento da emissão do DUT e IPVA do ano vindouro no DETRAN. Deixar um veículo rodando em seu nome, é sinônimo de grandes aborrecimentos: multas, ocorrência de crimes praticados com o veículo... Boa sorte e bom negócio.

Indice dos textos.


BrasilTurbo.com.br | Política de Privacidade | 1994 | Todos os Direitos Autorais Reservados.